sábado, 2 de maio de 2009

Fuga em um dia de verão

-6hs30min passo na sua casa.
-Estou te esperando.
Se despediram e ele foi fazer algo que não estava fazendo e ela continuou fazendo o que já fazia. Ela ouviu música, tomou banho, penteou os cabelos, vestiu uma nova roupa e foi à uma festa. Ele fez coisas desconhecidas.
6hs30min: o galo cantou. Ou terá sido o celular avisando que ele chegava? Ela fechou a casa, entrou no carro e foram até o supermercado mais distante para comprar chocolate. "Saborear um chocolate é quase ter um orgasmo."
Paga-se o chocolate, vão até o carro, um beijo e um forte abraço e foram em direção à sua fuga em um dia de verão. Um pedacinho de sal, de sol, de céu, Rio e Mar e Areia que pertencia apenas aos dois.Quando chegaram lá deixaram o carro na sombra de uma árvore observando barcos que íam e vinham e foram em busca de Rio e Mar e Areia.
O primeiro que encontraram foi Mar ou o mar. O mar estava lindo: meio azul meio verde. Com ondas violentas e tinha apenas a companhia de quatro surfistas.
O segundo que encontraram foi Areia ou a areia. A areia estava molhada ou talvez seca. Às vezes eles ficavam presos nela e observavam os buracos que Mar fazia em Areia e que caranguejos se escondiam.
O terceiro que encontraram foi Rio ou o rio. E lá eles entraram e fizeram um ninho de amor, de paz, de vibração e até de morte (pois, a morte também é vida). Mas, a morte só fez parte do ninho em um pequeno comentário que se transformou em sorrisos e depois em esquecimento.
A energia, o amor, o carinho que emanava dos dois contagiou todo o local por onde os dois passavam. Eles voltaram a ser criança, esqueceram as coisas ruins e brincaram e sorriram e mergulharam e... e viveram felizes longe de tudo que tacham de certo e errado.
Então, chegou o momento de voltarem. E começaram a caminhar de mãos dadas com um forte sol em suas cabeças e ela precisou parar um pouco para respirar. "Eu não sou mais uma pessoa." "Respire. Descanse um pouco".
Ao reencontrarem o início da praia, as pessoas que antes não se encontravam lá, olhavam para eles tentando descobrir de onde vinha aquela energia, aquele amor que saiam deles. Eles sentaram e ela fez com que ele comesse e bebesse coisas que ele não comia e não bebia. E riu. E sorriu! E mais uma vez brincou com ele.
Mas, eles precisavam retornar ao convívio dos seus. Entraram no carro e às 15hs ele a deixava em casa e partiu para a sua família. E ela ficou imaginando o que ele estava esperando de uma fuga em um dia de verão.

2 comentários:

Lipo de Alcantara disse...

Olha só quem resolveu entrar na blogosfera =D

e começou com o pé direito hein...

seus escritos me faziam muita falta =D

AINDABEM QUE VOLTARA O/

e esse conto aí? adorei, de one vc tira inspiraçãoprara escever essas coisas?

ahsuasuahshas

paree até uma historia queeu conheço

;**

Lipo de Alcantara disse...

CORREÇÃO

Olha só quem resolveu entrar na blogosfera =D

e começou com o pé direito hein...

seus escritos me faziam muita falta =D

AINDA BEM QUE VOLTOU O/

e esse conto aí? adorei, de onde vc tira inspiração prara escever essas coisas?

ahsuasuahshas

parece até uma historia que eu conheço

;**

Template by:
Free Blog Templates